Skip to content

Top 5 – Diretores Que Viraram Piada

28/03/2011

Hoje, o TOP 5 observa os altos e baixos (mais os baixos) das carreiras de promissores diretores que ultimamente andam “pisando na bola”, por assim dizer…

5 – George Lucas

“O QUÊ?! Como ousa começar sua lista de perdedores com o homem que nos deu Star Wars?!”. OK, antes de começarem a pegar seus sabres de luz, só me escutem: realmente, George Lucas foi um visionário, que não apenas criou a saga espacial mais bem-sucedida de todos os tempos mas também foi o pai de Indiana Jones (Spielberg foi escolhido para dirigir). Mas o que ele fez depois disso??? A não ser contar os dólares pelas infindáveis lancheiras, cuecas, bonecos e afins, baseados na série. Não estou culpando o cara, você faria diferente? O problema é que, ao invés de simplesmente se contentar com o sucesso e se aposentar dignamente, ele continua ativo, mas dando todos os pitacos errados. Você não gostou de caveiras de cristal e E.Ts no novo Indiana Jones? Fale com George. Jar Jar Binks? Culpa dele. O Ken da Barbie interpretando Anakin Skywalker? Já sabe quem foi, né? E o mais engraçado é que quando surgem empolgantes rumores de novos projetos do barbudão, rapidamente são desmentidos. A triste verdade é que, no momento, Tio George não está preparando nada de empolgante…

4 – Roland Emmerich

Algumas pessoas podem argumentar que Emmerich sempre foi um diretor de filmes ruins, mas eu o apóio pelo menos até “O Patriota”. Depois disso, realmente a coisa começou a ficar feia. Continuando em “O Dia Depois de Amanhã” o caminho de destruição começado com “Independence Day” e “Godzilla“, o diretor alemão praticamente refez o mesmo filme. O problema é que a cada produção, a escala foi só aumentando e os atores e estória só piorando. O chamado “núcleo emocional” dos filmes foi ficando meio morto, consequentemente fazendo com que os personagens não tivessem importância. E se você não se importa com os personagens nesses filmes, tudo acaba virando apenas um espetáculo pirotécnico. Em “2012”, Roland forçou muito a barra. Inspirando-se nas profecias que alegam que o mundo acaba ano que vem, ele simplesmente fez isso: destruiu o mundo. Não sei quanto a vocês, mas ao ver aquelas cenas dos continentes quebrando no meio, tudo em CGI, eu fiquei completamente amortecido. Perdi a conexão com o filme. É destruição demais, efeitos demais, não consegui levar aquilo a sério, não funcionou. Agora, como já destruiu a Terra de todos os jeitos que quis, aparentemente, Roland segue para destruir a literatura, com um filme sobre Shakespeare em produção.

3 – Russell Mulcahy

De todos os nomes nessa lista, Russell Mulcahy foi o que mais rápido se tornou uma piada! Depois do sucesso cult “Highlander“, ele foi chamado para dirigir a continuação, “Highlander II – A Ressurreição”. Tudo parecia bem, afinal, é sempre um bom sinal quando o diretor do original retorna, e deram até um jeito de chamar de volta Sean Connery. Mas o produto final acabou reconhecido como um dos piores filmes já feitos, quando os imortais foram revelados alienígenas (!), entre outras bizarrices. É igual eu li por aí: “Se você tem Sean Connery E Michael Ironside no seu filme e ele ainda é ruim, isso deve ser algum tipo de recorde”. De alguma forma, Mulcahy ainda conseguiu trabalho depois disso, mas não diria que ele se saiu muito melhor. Alguns momentos de sanidade artística dele incluem o sensível filme para TV estrelado por Sigourney Weaver “Prayers for Bobby” e o divertido “Give ´Em Hell, Malone”. Mas esses foram exceções. Ele também cometeu continuações ridículas para “Escorpião Rei” e “Resident Evil”.

2 – Robert Zemeckis

É com tristeza que coloco o nome de Robert Zemeckis nessa lista, visto que o homem dirigiu vários filmes que eu adoro. É só buscar o nome dele nesse blog pra ver o quanto valorizo seu trabalho. Mas o fato é que, desde que ele descobriu essa tal técnica de captura de movimentos, todos os seus filmes tem sido assim! Claro que diretores tem que ousar, experimentar constantemente, mas no caso dele, virou uma obsessão! E com uma técnica que convenhamos, nem é tão legal assim. Sentimos falta do Zemeckis de antigamente, com o frescor e a emoção de “De Volta para o Futuro” e “Forrest Gump”. Esses filmes de captura são esquisitos: nem podem ser chamados de animação, porque são mais realistas visualmente. Mas também não são live-action porque ainda tem um “que” de animação. Uns diriam que é um produto “híbrido”. Eu chamo de mal-resolvido. Vamos lá, Robert, pegue uma câmera e vá filmar umas pessoas do lado de fora do estúdio! Você estava indo bem…

1 – M. Night Shyamalan

Esse é o mais trágico. Revelado no final dos anos 90 com o hit “O Sexto Sentido”, Shyamalan evocava Spielberg e Hitchcock em seu suspense e truques de câmera. Se tornou o queridinho de Hollywood e da mídia, e conquistou vários fãs (inclusive esse que vos fala). Fez outros bons filmes, como “Corpo Fechado (péssima tradução para Unbreakable)”, “Sinais” e até “A Vila”. Um problema é que bateu demais na tecla do “final-surpresa”, que dava uma reviravolta em toda a trama até ali. Logo, todos esperavam por isso no final de seus novos filmes, o que estigmatizou um pouco o indiano. Isso explica parte da história, mas nada justifica a qualidade precária de seus roteiros seguintes, “Fim dos Tempos”, em que Mark Wahlberg tem seu grande momento dramático atuando com uma planta de plástico (tô falando sério!), e também “O Último Mestre do Ar”, uma adaptação do desenho “Avatar” que não agradou nem aos fãs nem a ninguém! A coisa tem andado feia para Shyamalan, e não consigo entender como um diretor supostamente inteligente (“O Sexto Sentido” foi muito bem-sacad0) decaiu tanto. Eu espero que ele consiga se reerguer, mas admito que hoje em dia, me falta coragem pra entrar num filme com o nome dele estampado no poster…

—————–

Menção (des)honrosa:

Brett Ratner – Não mantém um padrão. Pode te entregar um bom filme, ou algo vergonhoso.

Sam Raimi – Depois de Homem-Aranha 3, é bom ele se reinventar e rápido!

Paul W.S Anderson – Seu próximo filme sempre pode ser uma bomba ou algo divertido… ou os dois!

Uwe Boll – Sem comentários…

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: