Skip to content

Guardiões da Galáxia Vol. 2

04/05/2017

guardians2

Guardiões da Galáxia Vol. 2 – por Lucas Veloso canecacanecacanecacaneca

Se você acompanha nosso blog, talvez saiba que não sou muito fã do primeiro “Guardiões da Galáxia”. Não sei, tem coisas naquele filme que não me desceram bem, tentava ser outra coisa, e não deu pra relevar. Sei que não é a opinião geral (todo mundo adorou). Sendo assim, não estava ansioso pro segundo filme, não estava nem de longe no meu Top 10 de filmes mais esperados. E assim fui ao cinema, meio a contragosto, numa sessão cara de IMAX em 3D acompanhando alguns amigos. E foi assim que vi o melhor filme da Marvel do ano, e um dos melhores já feito pela empresa. WHAT?! É, isso mesmo… se é pra dar o braço a torcer, vamos fazer direito. Dessa vez, me conectei mais com a história: o pai de Peter “Starlord” Quill reaparece, querendo se reconectar ao filho… só tem um probleminha: ele é um planeta vivo! E Peter já tem uma “família” agora: como ficam os Guardiões nessa? O filme se concentra ao máximo em capitalizar nos trunfos de seus personagens: Drax é fortão e sem noção? Então, você terá excelentes cenas dele sendo fortão e sem noção. Gamora e sua irmã azul tem questões familiares pra resolver? Então, você vai ver lavação de roupa suja hardcore! Rocket Raccoon é um babaca azedo mas com um bom coração? Você vai… putz! Sem spoilers. Mas basta dizer que algo inesperado desse filme é que ele mexe com suas emoções mais primais. O filme abre seu coração pra você, e você seria um babaca nível Rocket se não o acolhesse caridosamente. Ah! E Baby Groot rouba a cena várias vezes, mas isso já era esperado. Além disso, desde Avatar não via um 3D tão imersivo. Você nunca “esquece” que está vendo em 3D, e não porque coisas pulam na sua cara o tempo todo, mas porque o design de produção é intrincado e bonito, e os mundos que os Guardiões visitam são cheios de camadas e detalhes, e você vai querer ver tudo, se absorver em tudo. Se você leu HQs da Marvel dos anos 70, com aquela arte colorida de John Buscema e afins, sabe do que estou falando. E mais: a ação é espetacular, as piadas são hilárias, as referências para os fãs estão fervilhando. Então, resumindo, um filme bom pra caramba, sim… e ao longo da projeção já estava com a intenção de dar uma nota de 3 canecas (bem cheias) pra ele. Mas aí, no clímax, Peter Quill se transforma em (SEM SPOILERS) escancara a porta da anarquia, abraça cada nerd no cinema, e me vi “forçado” a dar quatro estrelas. Surreal. Acho que nunca desgostei tanto de um filme e curti tanto sua continuação, a ponto de virar fã desses personagens, passar a me importar com eles e querer saber o que vem por aí pra eles. Talvez esse tal de James Gunn seja mágico mesmo.

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: